quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Passáros

A esperança chegou a Lia de forma poética: nas asas dos pássaros, nas linhas e contornos que deslizavam de suas mãos infantis; os olhos pequenos revelavam a descendência, os tsurus a compartilhavam. 

Passava os dias, sentada a beira da mesinha de centro da sala, os joelhos, brancos, vermelhos, o rosto sério, trabalho de gente grande!

Eles, os grandes, passavam desolados, doença rápida!
E ela se concentrava mais: revoada de 1000 pássaros que atendem a um desejo. 

Lia não sentiu o beijo de despedida do pai, faltavam ao menos 350; hoje, mulher, olha seus seiscentos e cinquentas tsurus, declarações orientais de amor. 

________________________________________________________________________________________________

Esse texto foi escrito em resposta ao desafio 10/10, do site Escrita Aberta.
"Todo dia 10 o Escrita Aberta lança um desafio literário, um exercicio ou tema para aguçar a criação literária de todos.
Você também pode lançar um desafio! Bastar enviar o desafio para escritaberta@yahoo.com.br
Desafio de Outubro
O olhar infatil
Gênero: livre"


Veja as outras respostas em: Escrita Aberta

Nenhum comentário:

Postar um comentário